sábado, 21 de agosto de 2010

Pescaria e cia

Conversando com a velha amiga mineira, sobre alimentação e por achar que moramos em litoral, tudo é mais fácil, resolvi escrever sobre o tema. Sempre disse e afirmo que, quem vive em litoral, o custo de vida é bem mais caro, nas cidades grandes, ainda existe um “ódio social” que um pobre não ajuda o outro, por que é mais um concorrente, parece que ficam mais desumanos.
Voltando ao tema da culinária, comer peixe por aqui, é para poucos, existe um comércio nos pontos de pesca, que na maioria das vezes o barco tem um dono, este oferece toda a infra estrutura para sair para pesca, como por exemplo, repor água para beber, comidas, gás, mantimentos diversos para os pescadores; estes permanecem em alto mar por vários dias e quando retornam precisam repassar em peixes para o dono do barco e a depender do lugar, repassam o peixe para atravessadores, que por sua vez, revendem aos donos de restaurantes, estes por sua vez, repassam para os usuários, que quando podem se dar o luxo de freqüentar restaurantes, comem gostoso e caro!
O que acho interessante para informar aqui sobre pesca, é a maneira em que os pescadores que vivem em colônias, quando pegam seus peixes, riscam no rabo, identificando-os, depois em terra, eles dividem o resultado de sua produção.
Não são todas águas marinhas que existem peixes, por exemplo, o tal do polvo tem áreas especificas, a pesca do camarão tem de obedecer as regras do momento de desova, que são dadas pelo IBAMA, bem como a liberação para pescar, ,mesmo para quem seja amador,ninguém pode sair por ai pescando, no mar também tem lei!
Outro fator determinante para a pesca são os ventos, já tive veraneio de não poder comer peixe fresco, pois os pescadores respeitam o vento Nordeste, enquanto não cessa não saem da terra. Muitas coisas aprendi por curiosidade pois Edão já teve um pequeno barco de pesca e pude conviver com esta realidade.
Quanto ao fato de ir para a beira da praia com um anzol, é complicado, por que a cidade grande, como disse no início, quem vive nas orlas são os afortunados economicamente e trazer um anzol dos bairros mais próximos dentro de um buzão, pense só no stress que isto iria causar? Acho que o pretendente a pescar qualquer coisa na beira mar, iria ser preso, pois esta andando armado, com a vara nas mãos!!
Quanto a receita de polvo a minha preferida, é esta, corta as pernas do danado, ferventa, quando amolece, faz um vinagrete, regado com um bom azeite doce e coma com pão e bom apetite!

Um comentário:

  1. Fiquei triste, pois pensava que era mais fácil pescar no mar.

    ResponderExcluir